Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jornal de musica Portuguesa jornalsomusica@sapo.pt


Vasco - "A primeira coisa: Blues é provavelmente o género que mais ouço. Mas comecei a ouvir primeiro Rock (muito pequeno :):):):)). Mais tarde o Rock Português. E o Rock Português de 1980 não tem propriamente ditas influências diretas dos Blues, mas sim de Rock internacional (Rolling Stones, Status Quo, Aerosmith, Pink Floyd, AC/DC, Lou Reed, ZZ Top, Eurythmics, B-52s, Huey Lewis, e por aí...) Muitos desses sim têm influências de Blues.

Quando eu ouvia na rádio novos grupos de Rock achava curioso a ligação desses grupos aos Blues. Toda a gente conhecia o B.B.King e o Eric Clapton obviamente o Jimi Hendrix também. Depois por mim fui descobrindo os outros nomes dos Blues.

Logo a seguir o meu irmão (que me ensinou a tocar) foi ver um concerto aqui no Porto de Buddy Guy com amigos dele da Escola de Jazz do Porto. E ficou maravilhado com o que viu. 

Há pessoas que acham estranho eu não tocar só um género. Que mal tem?

Gosto de Blues, rock,  Carlos Santana e quando quero tocar acústico só me vem à ideia pegar numa guitarra clássica. Nem eu sei explicar...

As "Trovas do inferno" que faço foi um estilo definido por mim só com uma Guitarra clássica para transmitir uma emoção diferente do habitual.

É evidente que se pode tocar "Mismatch", " Roses & Thorns" ou por exemplo também "Willows and osiers" com 2 ou 3 guitarras, ou até violino e piano. Mas para mim defini assim. Achei engraçado!

Sei que é bem diferente dos outros géneros que toco: rock/Blues instrumental, Rock Português ou até as baladas rock instrumentais, mas achei engraçado.

E assim fiz."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:17

11
Abr18

Tia Graça ao vivo

por Jornal Só Musica

“Tia Graça” mete-se na automotora e regressa a Aveiro! Quarta 11 abril, 21h30 Teatro Aveirense 39º Aniversário GrETUA Bilhetes à venda: http://bit.ly/tiagraça lotação limitada (sala-estúdio) Evento Facebook: https://www.facebook.com/events/159191138104077/ “Tia Graça – toda a gente devia ter uma” vai subir ao palco em Aveiro, na sala-estúdio do Teatro Aveirense, na próxima quarta-feira 11 de abril, pelas 21h30, no âmbito do 39º aniversário do GrETUA. A lotação é limitada e os bilhetes estão já à venda. Maria Virgínia da Graça nunca aprendeu uma nota de música do tamanho de um comboio. Nem ela, nem a mãe, nem as irmãs, nem nenhuma mulher lá de casa. Pelo contrário, todos os homens da família são músicos. Nunca teve filhos, por isso foi mãe do avô, mãe do pai, mãe dos irmãos e agora é mãe dos próprios sobrinhos. Tudo músicos. Hoje, viajada e muito vivida, a Tia Graça está surda que nem uma porta. O que, numa família destas, tem muita graça. Um espetáculo que homenageia as mulheres que vivem nos bastidores das vidas de tantos músicos, a lavar, a coser, a passar, a cozinhar, a mimar. E sempre à espera. Toda a gente devia ter uma Tia Graça. “Tia Graça” é um espetáculo de autor, concebido e interpretado por Luís Fernandes, no papel mais maduro do seu percurso criativo, a par de um extraordinário trio de jovens instrumentistas da nova vaga: Telma Mota (oboé), Inês Moreira Coelho (fagote) e Beatriz Mendes (trombone). A música original é da autoria de Manuel Maio e a cenografia é assinada por enVide neFelibata. Trata-se da mais recente criação da d’Orfeu AC e apresentou-se já, desde a estreia em maio último, em Águeda, Vouzela, Aveiro, Porto, Serpa, Castelo de Vide, São João da Madeira, Albergaria-a-Velha, Tondela e Guarda, prosseguindo agora a sua digressão pelo país. http://www.dorfeu.pt/tiagraca http://www.facebook.com/dorfeuac

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:47

11
Abr18

 

 

Depois de Açores e Madeira, "Roses & Thorns" é uma composição de Vasco Gritali dedicada às Ilhas Canárias.

Um paraiso de Espanha! 

 

http://www.gritali.blogs.sapo.pt

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:36

11
Abr18

Agenda dos Madrepaz e novo single

por Jornal Só Musica

 

2017 viu nascer o Pop Xamânico pela mão direita dos Madrepaz.  Depois de um concerto singular de apresentação na sala dos geradores da Central Tejo – MAAT em Lisboa, deram a conhecer o seu primeiro disco, “Panoramix”, aos quatro cantos de Portugal ­­com concertos vibrantes e participados numa tour que passou pela FNAC, Casa da Música do Porto, Musicbox Lisboa e Iberian Festival Awards, na última semana, apenas para destacar alguns. A vida de estrada e os 3 singles/ vídeos retirados do primeiro disco não foram indiferentes à critica que fez figurar Madrepaz nas listas de melhores do ano!
 
4 estações depois, os Madrepaz encetam um novo ciclo com “☸️BONANZA☸️”, tema-título do segundo disco a editar antes do final da primavera. 

 

 

 

 

Filmado em Bucelas durante a tempestade Félix, o vídeo de "Bonanza" documenta o espírito dos Madrepaz em processo criativo, num dos seus retiros artísticos.

O caminho dos Madrepaz vai agora passar por testar as novas canções ao vivo, numa tournée (em actualização) pelo país e por Espanha.

 

 

24 Março Espaço d’Orfeu, Águeda
29 Março 7 Arte Café, Castro Verde
30 Março Popular Alvalade, Lisboa
21 Abril Espaço A, Freamunde

22 Abril | Fnac | Braga
06 Julho Marbella, Espanha
14 Julho Festival Ecos do Lima, Ponte da Barca
19 Julho (…), Braga

 

 

Facebook

 

Instagram

 

Spotify

Booking : calv@xinfrim.pt
Imprensa: soniaramospress@gmail.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:32


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D